You are currently browsing the monthly archive for abril 2012.

“Viver é não esperar a tempestade passar… É aprender como dançar na chuva.” (autor desconhecido)

 
 
O que
  • Guarda chuva com projetor (Pileus)

  • Os inventores são jovens estudantes da Universidade Keio, no Japão: Matsumoto Takashi (27), Hashimoto Sho (22) e o prof. e orientador Okude Naohito
  • Projetor no cabo do guarda chuva pode com o wifi entrar na internet, pegar imagens do site flikir e vídeos do youtube e projeta-los na parte interna.
  • O controle das imagens é feita pelo cabo do guarda chuva

Porque

  • Objetivo inicial dos alunos: tornar uma caminhada na chuva mais divertida
  • Projeto baseado na computação ubíqua (onipresença da informática no cotidiano)
  • O usuário fica mais conectado e pode haver no futuro uma “rede social” de usuários do Pileus
  • O projeto é bem criativo e pode ser útil se considerado a utilização do GPS
  • O que me interessou: bonito, ubiquo, mas ao mesmo tempo “sufocante”.

Como

  • Camera, sensor de movimento, GPS e bússola digital
  • Compartilhamento de fotos tiradas na hora por meio de uma conexão wi-fi


Modificações:

  • As pessoas podem morrer ao atravessar a rua vendo um vídeo
  • Deve haver um alerta (vibração) quando chegar perto de uma rua
  • Gostei mesmo do GPS, e talvez seja bom implantar uma “música ambiente” que só seja escutada em baixo do guarda chuva
  • Guarda chuva especial para deficientes. Cegos podem usar o Pileus com um sistema vibratório e de de voz (com GPS) para direcioná-lo

********************************************************************************************************************************************************

Dias de chuva não serão mais os mesmos. Dois estudantes da universidade de Keio, no Japão, desenvolveram um guarda chuva que pode acessar a internet. A tela para exibir as informações seria a parte interna do objeto.  O utensílio (Pileus) é capaz de pegar fotos de sites como Flikir, reproduzir vídeos do Youtube, e com seu GPS pode mostrar a localização exata do usuário utilizando os mapas do Google Earth. Tudo isso feito por meio de wi-fi.

Os estudantes  Matsumoto Takashi (27) e Hashimoto Sho (22) tinham como objetivo tornar os dias de chuva mais divertidos. A computação ubíqua é quase o tema principal, já que desenvolveram uma tecnologia para ser implantada num objeto comum. As novas utilidades para este guarda chuva são muitas, mas a principal, em minha opinião, é um sistema GPS  de fácil utilização. Todo o controle do que está aparecendo na “tela” é feito pelo cabo do objeto. Muitas tecnologias foram compiladas para criar o objeto. Ele contém um projetor, uma câmera para o usuário tirar fotos onde quer que esteja, um sensor de movimento, GPS e uma bússola digital.O projeto fez muito sucesso e ganhou vários premios em 2007, quando foi apresentado para o mundo.

O que me chamou atenção no projeto foi a implantação da tecnologia em um objeto tão comum. Mas o que fez escolher o projeto foi a dúvida que tive quanto a funcionalidade do objeto. Achei bonito, mas não achei muito útil. Talvez seja até perigoso uma pessoa ter esta integração tão forte entre humano e tecnologia. Daqui a pouco estaremos tão conectados que não nos importaremos com o que acontece me volta.

O projeto é criativo, mas também o achei perigoso. Esta interação 24h por dia com a internet é excessiva. O guarda chuva pode estar com um vídeo e o usuário atravessando a rua, podendo causar um acidente. Talvez seja bom haver um sistema de vibração para avisar a aproximação das ruas. Uma música ambiente também pode ser muito agradável se somente der para ser escutada por quem está usando o objeto. Pileus também poderia ser usado por deficientes visuais. O sistema de GPS poderia ser integrado com um de vibração para avisar a localização das ruas. Além disso, uma voz falaria por que direção seguir, dando maior uso para o Pileus.